GLOSSÁRIO

A

Alienação fiduciária

Forma de garantia utilizada para financiamento ou operações de crédito de imóveis, máquinas, veículos e bens diversos. Se por ventura a dívida não for totalmente quitada, o bem é retomado e vendido em leilão para sanar o débito.

Arrematante

É o comprador, ou seja, a pessoa física ou jurídica que deu o maior lance para o bem ou lote em leilão.


C

Comissão do leiloeiro

Percentual sobre a venda paga pelo arrematante e comitente vendedor, previsto em lei, para remuneração do leiloeiro.

Comitente vendedor

É a empresa vendedora que disponibiliza os bens para leilão.


D

Despachante

Profissional responsável por realizar o serviço de transferência do bem.

Despesas operacionais

Valores referentes às despesas de organização e depósito de bens pagas pelo arrematante.


F

Frota

Conjunto de veículos pertencentes ao ativo de uma empresa, utilizado para realização de suas atividades. No momento da renovação de sua frota, a empresa destina os veículos usados para venda em leilão.


L

Lance inicial

É o valor para abertura do pregão e início da disputa. O valor informado como lance inicial não significa o lance mínimo para venda em leilão.

Lance mínimo

É o menor valor aceito pelo comitente vendedor para venda de seus bens.

Leiloeiro oficial

É o profissional autorizado a realizar leilões, nomeado pela Junta Comercial do Estado em que atua. A atividade de leiloeiro é regulamentada pelo Decreto Lei 21.981/32

Lote

É o bem ou o conjunto de bens ofertados em leilão.

Lote cancelado ou retirado

Situação do lote após a retirada do mesmo de pregão pela empresa vendedora ou por determinação judicial.

Lote em repasse

Lote não arrematado no pregão e que permanece no site até o final do leilão para recebimento de lances.

Lote homologado

Situação do lote após a aprovação da venda condicional pelo comitente vendedor.


M

Média monta

É a classificação dos danos do veículo que sofreu um sinistro. A média monta significa que o veículo poderá voltar a circular mediante reparos, inspeção e obtenção de Certificado de Segurança Veicular (CSV). Após a recuperação, esta informação é mantida no documento do veículo (CRV – Certificado de Registro de Veículo) como “sinistro recuperado”.


P

Pequena monta

É a classificação dos danos do veículo que sofreu um sinistro. A pequena monta significa que o veículo sofreu danos leves e poderá voltar a circular após os reparos, sem registro de sinistro no documento do veículo (CRV – Certificado de Registro de Veículo).


R

Retomado

Bem móvel ou imóvel retomado de forma judicial, administrativa ou devolvido amigavelmente, oriundo de financiamento ou operações de crédito de Instituições Financeiras e Consórcios.


S

Sinistrado

Bem móvel proveniente de um sinistro (ex.: colisão, furto ou enchente), podendo ser o mesmo classificado em pequena, média ou grande monta. Veja o significado das montas.

Sucata

Bem que não poderá mais ser recuperado para sua utilização original. No caso de veículos sinistrados, são aqueles classificados como Grande Monta, servindo apenas para aproveitamento de peças na forma da Lei. Somente empresas cadastradas como Centro de Desmanche de Veículos (CDV) e regularizadas no Detran poderão adquirir e comercializar sucatas de veículos, conforme a legislação vigente.


T

Taxa administrativa

Valor referente à despesa com a logística do bem. Essa despesa é de responsabilidade do arrematante.

Termo de responsabilidade

Declaração de responsabilidade do arrematante pelos atos envolvendo o bem após o arremate, exigido por alguns comitentes vendedores.


V

Venda condicional

É a venda de um bem realizada pelo maior lance recebido no leilão, sujeito à análise do comitente vendedor, que poderá homologar ou não a oferta.